Pular para o conteúdo

Ações na bolsa de valores, veja aqui como investir com pouco dinheiro.

Ações na bolsa de valores, veja aqui como investir com pouco dinheiro. Qualquer pessoa que invista em uma bolsa está sujeita a possíveis custos, como abertura de conta e taxas de corretagem, além das taxas e impostos normais de câmbio. Para quem quer comprar ações na bolsa de valores pagando menos, existe a opção do mercado fracionário, que é uma forma de comprar apenas parte da ação de uma empresa sem precisar comprar um lote padrão. 

Portanto, o investimento financeiro é menor. Para tanto, o investidor deve estar ciente de que para distinguir as ordens de compra de ações na bolsa de valores, no mercado padrão e no mercado fracionário, os códigos de ações eventualmente receberão a letra F ao final do seu código de troca no mercado fracionário.

É uma alternativa mais acessível, mas por outro lado, o investidor tem que ter mais paciência na hora de vender a participação e embolsar os lucros. Com menos liquidez devido ao fracionamento das ações na bolsa de valores, as mesmas  podem demorar mais para serem vendidas, principalmente se forem de empresas menores e menos negociadas.

Ações na bolsa de valores
Ações na bolsa de valores / Foto Canva

 

Ações na bolsa de valores: Como escolher e analisar ações na bolsa de valores:

Antes de investir em ações é importante conhecer o mercado, a empresa, o setor e mais o cenário macroeconômico que pode afetar determinada empresa para que o investidor não acabe ficando animado quando a ação sobe ou assustado quando o valor do estoque cai. Por isso, aprender sobre o assunto é importante mesmo que não exista uma regra específica. Mas qual a melhor forma de avaliar as empresas e seus passos para alcançar melhores resultados? Confira as principais análises que são feitas quando falamos em investir em ações:

Ações na bolsa de valores: Análise técnica.

Também chamada de análise gráfica e é utilizada para encontrar tendências nas oportunidades de compra e venda de ações no curto prazo por meio da evolução dos gráficos de preços de ativos ao longo do tempo. Esta análise pode sinalizar qualquer possível mudança de comportamento, ou seja, os gráficos podem indicar, por exemplo, que as ações de uma determinada empresa apresentam um comportamento consistente de alta durante um determinado período de tempo, e em um determinado momento o gráfico mostra que isso o rali está perdendo. Portanto, com base nessa análise, os investidores de curto prazo podem entender que é possível iniciar o processo de perda de valor dessa ação. Apesar de ser uma fonte de análise de desempenho de ações, vale lembrar que não é tão simples de fazer e acompanhar, pois exige muito conhecimento de mercado para tomar uma decisão.

Ações na bolsa de valores: Análise fundamentalista.

Olhar mais para o longo prazo, geralmente olha o cenário econômico de uma forma mais macro, assim como o mercado, quem está no comando da empresa, sua saúde financeira, a tendência da empresa em relação ao consumo, análise setorial, por exemplo, como são os balanços das empresas, etc. 

Ou seja, é um conjunto de análises para chegar a uma projeção dos resultados e possíveis preços justos das ações de determinadas empresas. Através desta análise, o investidor consegue criar uma justificativa para a empresa e para o microcenário em que está inserido, para que possa realizar seus investimentos de forma mais clara e assertiva.

 Essa análise é recomendada para quem quer correr menos riscos e deixar o tempo trabalhar para aumentar o valor de suas ações. Porém, para isso, é importante que o investidor leia notícias sobre a empresa, a economia e acompanhe os balanços para ter uma ideia de como está a empresa e quais são as possíveis tendências das ações.

Portanto, a análise fundamental ajudará os investidores a selecionar empresas que tenham boas perspectivas e sejam sólidas, resilientes e saudáveis, o que é a base de uma estratégia de longo prazo. 

Ações na bolsa de valores: Confira os principais indicadores básicos:

EBITDA (Impostos, Lucro Antes de Juros, Amortização e Depreciação): Indica o lucro após dedução das despesas operacionais, mas antes da dedução de taxas, imposto de renda, depreciação e amortização;

P/VPA: mostra a relação entre preço e valor patrimonial por ação;

DY (Dividend Yield): determina quanto a empresa distribuiu como dividendos em relação ao preço da ação;

P/L: mostra a relação entre o preço da ação e o lucro obtido com ela;

Ações na bolsa de valores: Dívida bruta sobre patrimônio líquido: 

Ajuda o investidor a conhecer o nível de endividamento da empresa. Vale lembrar também que esses indicadores não podem ser considerados isoladamente, pois a análise fundamental sugere que um conjunto deles deve ser considerado. Portanto, tome cuidado para não cometer erros.

Ações na bolsa de valores: Benefícios de investir em ações:

Nem todo mundo tem a oportunidade de investir grandes somas em ações. Porém, se considerado no longo prazo, com estratégia e consistência de contribuições, o potencial de rendimento pode ser uma boa e interessante opção para construção de riqueza financeira.

Mesmo com um valor menor para investir, você pode aumentar gradativamente sua carteira de ações e exposição ao mercado ao longo do tempo, o que permite mais experiência e pode melhorar a rentabilidade do investimento.

Além disso, o mercado de ações oferece outra vantagem: a oportunidade de começar a investir em ações de baixo valor e lembrar sempre da estratégia de diversificação de carteira para minimizar riscos.

Se começarmos a investir na bolsa de valores, um investidor ao se tornar sócio de uma empresa pode ser uma forma de se envolver em grandes negócios de forma mais fácil, além de poder lucrar de acordo com o seu crescimento.

Além disso, diversas ações em bolsa possuem grande liquidez, o que permite ao investidor vender seus ativos com mais facilidade de acordo com a estratégia de investimento e assim obter a possibilidade de lucros.

Dependendo da estratégia do investidor, investir em ações também pode ser uma variante de renda passiva, baseada na valorização das ações e na possibilidade de recebimento de dividendos.

E tudo isso num quadro de simplicidade e disponibilidade online através do home broker da corretora, onde as ordens de compra e venda são enviadas de forma rápida, segura e prática.

Ações na bolsa de valores: Riscos de investir em ações.

Embora o mercado de ações traga benefícios aos investidores, ele também apresenta riscos.

A primeira é que se trata de um investimento de renda variável, ou seja, o investimento não tem garantia de lucros e perdas e de quanto poderá ter em determinado período de tempo. Dessa forma, você se expõe a possíveis perdas patrimoniais. Portanto, a diversificação é importante para reduzir possíveis perdas.

Outro ponto de atenção é que o mercado de ações tem uma oscilação muito mais acentuada do que, por exemplo, a renda fixa, e as ações podem ser afetadas por problemas externos, não só das empresas, mas também daqueles decorrentes de variáveis ​​macroeconômicas, se falarmos de cargos políticos , certos impactos sectoriais, até problemas imprevisíveis como uma pandemia.

Além disso, não é apenas o setor externo da empresa que pode influenciar o desempenho da função. Afinal, a possibilidade de fraude dentro da empresa também é outro risco ao qual os acionistas podem estar expostos e dos quais devem estar atentos.

Outro fator que o investidor deve estar atento é que uma ação pode perder valor por falta de interesse público, reduzindo sua liquidez e dificultando a venda de suas ações pelo investidor quando desejar.

Por fim, existe também o risco de a empresa declarar falência e, com isso, o investidor perder todo o valor que tinha nas ações da empresa.

Por isso é importante sempre diversificar seus investimentos, estudar e estar preparado.

Ações na bolsa de valores: Quanto custa investir em ações?

Vale lembrar que investir em ações tem seus custos, ou seja, o investidor tem que pagar determinadas taxas para realizar e manter seus investimentos.

Ações na bolsa de valores: Confira três deles.

Taxa de corretagem: é a taxa cobrada pela corretora a cada operação, seja de compra ou venda, que o investidor realiza. Vale lembrar que diversas corretoras já possuem taxa zero, o que se torna uma grande vantagem e economia para o investidor.

Taxa de Custódia: é o valor cobrado da corretora pelas operações realizadas pelo home broker ou mesa operacional de uma instituição financeira. Seu objetivo é cobrir os custos operacionais da corretora por meio da Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC). Embora exista, muitas corretoras já cobram zero taxas por ações.

Imposto de Renda: dependendo do tipo de operação e do valor negociado em um mês, o investidor terá que pagar imposto de renda sobre o lucro. Caso a venda mensal de ações ultrapasse R$20 mil, você terá que pagar imposto de 15% sobre o lucro líquido até o último dia útil do mês seguinte. Porém, existe a opção de pagar menos impostos deduzindo prejuízos de outras operações. No caso de operações de day trading, o investidor terá sempre que pagar uma taxa de 20% sobre o lucro que obtiver, independentemente do valor da negociação realizada. Neste caso, também é possível deduzir perdas de operações rentáveis. O pagamento deverá ser feito via Darf (Documento de Arrecadação Federal) e o cálculo dos valores é de responsabilidade do investidor.

Ações na bolsa de valores: Passo a passo como começar a investir em ações.

Investir em ações é considerado complicado por muitas pessoas, mas não é segredo. Basta fazer o seguinte passo a passo:

Defina seus objetivos: Antes de começar no mercado de ações, você precisa definir claramente seus objetivos de investimento e o prazo em que pretende investir para poder traçar a melhor estratégia para alcançá-los.

 

Identifique o seu perfil de investidor: é possível investir em ações de diversas estratégias. Portanto, ter um perfil de investidor definido e saber quanto risco você está disposto a correr pode ajudá-lo a determinar qual dessas opções é mais adequada para você.

 

Tenha conta em uma corretora: após definir seus objetivos e perfil de investidor, o próximo passo é abrir uma conta em uma corretora, transferir o dinheiro e começar a investir nas ações desejadas, colocando ordens de compra e venda.

Monitore seus investimentos: após concluir as operações e dentro do seu objetivo e estratégia, acompanhe regularmente o desempenho dos seus investimentos para verificar se estão alinhados ou não com suas estratégias, para que você possa fazer as alterações que julgar necessárias.

Fonte:https://www.toroinvestimentos.com.br/