Pular para o conteúdo

Acionistas de uma empresa veja o que significa e como ser um

Acionistas de uma empresa, veja o que significa e como ser um. Além de lucrar com o crescimento da empresa, os acionistas podem participar das decisões da empresa com base na quantidade de ações que possuem.

Você já ouviu falar que possuir ações é uma forma de investir com a expectativa de lucrar com sua valorização, certo? Mas a importância dos acionistas vai um pouco além do foco apenas no lucro. Ao comprar ações de uma empresa, você tem determinados direitos de participação que podem variar dependendo do tipo de ativo e do valor. Além disso, o pagamento do lucro, que é a distribuição de parte do lucro, não é o mesmo para todas as empresas listadas em bolsa.

Portanto, a seleção das ações da sua carteira de investimentos deve levar em consideração os tipos de participação e rendimento. A seguir, entenda o que significa e como são os acionistas de uma empresa.

Acionistas de uma empresa, veja o que significa e como ser um
Acionistas / Foto Canva

O que são acionistas?

Um acionista é uma pessoa que investe em uma empresa comprando suas ações. Estas ações representam parte do capital social da empresa. Dependendo da quantidade e da espécie de ações adquiridas, o acionista tem determinados direitos de participação, como o recebimento de dividendos.

Na prática, dizemos que acionista é como um dos donos da empresa, mas com certas limitações, que mostraremos mais adiante. Por enquanto, vale ressaltar que esse investidor compra ações de determinada empresa com certas expectativas:

 

  • Que o preço das ações se valorize ao longo do tempo de acordo com o crescimento da empresa. Se o acionista quiser vender as ações no futuro, poderá obter um valor superior ao que investiu
  • Poder obter receitas recorrentes quando o negócio registra lucros que podem ser pagos em dinheiro, por meio de dividendos ou juros sobre capital próprio.
  •  Ou pode ser feito em múltiplas ações, como bônus e direitos de subscrição.

Acionistas de uma empresa: Ganhe com o aluguel de ações. 

 

Um acionista pode arrendar essas ações para que outro investidor possa negociar o direito de comprar ou vender esse ativo e tentar capitalizar as flutuações de preços em um período muito curto de tempo.

A projeção de retorno dependerá do objetivo que o acionista tem ao investir nas ações. Ele pode querer lucros no curto prazo, para lucrar com as flutuações, ou no longo prazo através de dividendos e valorização ao longo do tempo.

 

Acionistas de uma empresa: Qual é a diferença entre sócio e acionista?

 

Um acionista investe em uma empresa listada em bolsa, adquire ações dela e, com isso, pode receber lucros e participar de algumas decisões. O sócio investe seu próprio dinheiro na empresa, seja ela uma sociedade de responsabilidade limitada ou uma sociedade privada.

Embora se diga comumente que um acionista passa a ser sócio da empresa, na prática é um pouco diferente. Nas empresas que não possuem ações negociadas em bolsa, o número de acionistas é menor.

Além disso, quando se trata de arcar com os prejuízos do negócio, essa diferença entre sócio e acionista é mais evidente.

Dependendo da natureza jurídica do negócio, sócios e administradores podem incorrer em dívidas empresariais. Mesmo nos casos de responsabilidade limitada, o tribunal pode considerar que os sócios paguem as dívidas com os seus bens pessoais.

Acionistas de uma empresa: Tipos de acionistas.

Você pode comprar uma ação com base no tipo de ação que deseja ter na empresa. Essa escolha deve estar alinhada aos seus objetivos com base no valor que você investe.

Por exemplo, um acionista que queira viver de renda passiva deve optar por ações de empresas que possam crescer de forma consistente e pagar dividendos regularmente.

Os tipos de acionistas são:

 

Acionista majoritário:

É o investidor que adquire mais da metade das ações da empresa. A principal característica de se tornar um acionista majoritário é ter mais poder para influenciar as decisões da empresa.

Acionista minoritário:

É o oposto da maioria, pois com menos ações, está menos envolvido nas decisões da empresa. No entanto, a maioria dos investidores no mercado de ações são acionistas minoritários.

Apesar de ter pouca influência na empresa, esse tipo de acionista tem certos direitos garantidos, como o recebimento de participação nos lucros.

Acionista Controlador:

É o acionista quem recebe a maioria dos votos da empresa para assumir o controle da empresa e tomar decisões relevantes para o seu crescimento.

Acionistas de uma empresa: Como ser acionista?

Para ser acionista, você precisa definir sua estratégia de investimento e depois abrir uma conta em uma corretora, escolher a empresa, o tipo de ação, a quantidade de ativos e realizar a compra.

A estratégia é importante para que você não precise vender a ação porque terá que usar o dinheiro. Em tempos de crise, você pode arriscar vender títulos quando eles estiverem depreciados, o que pode causar perdas.

Portanto, tenha sua reserva financeira, diversifique seus investimentos entre renda fixa e variável e compre ações de acordo com seus planos. Por exemplo, se o plano é ganhar no longo prazo, não conte com o fato de que esse dinheiro vai conseguir algo em um curto espaço de tempo.

Ser acionista é estudar quais setores da economia e quais empresas podem gerar o retorno que você espera durante o período que pretende manter a ação em carteira. Você também deverá escolher entre ações ordinárias e preferenciais de acordo com os direitos de participação que deseja ter.

Quanto os acionistas ganham  por mês?

O valor que um acionista ganha por mês depende de uma série de fatores como o perfil da empresa, o tipo de ações, a frequência da distribuição de lucros e, claro, a situação econômica.

Outro fator que afeta os lucros é o perfil do investidor em relação à sua disposição em assumir riscos. Empresas em crescimento pertencentes a setores com potencial de expansão podem ter preços de ações que oscilam bastante. Além disso, costumam reinvestir os lucros para reforçar a sua quota de mercado.

Essas ações podem se valorizar mais rapidamente. No entanto, este é um cenário incerto onde também existe um maior risco de perda.

Um investidor mais conservador pode escolher ações de empresas mais maduras que paguem dividendos recorrentes. Embora o crescimento possa ser menor, será consistente, assim como os lucros.

Como dissemos anteriormente, as empresas de capital aberto podem pagar aos investidores da seguinte forma:

Dividendos:

Trata-se de distribuir parte do lucro aos acionistas em dinheiro. As empresas podem fazer pagamentos trimestrais, semestrais ou anuais. O investidor fica isento do pagamento do Imposto de Renda ao receber esse valor.

Juros Patrimoniais (JCP):

É também uma recompensa para os investidores, mas com a diferença de que é benéfica para a empresa, pois são consideradas despesas. Isso fará com que o imposto de renda seja cobrado sobre um valor menor de lucro.

Porém, quem paga o IR é o acionista. Devido a esta diferença de tributação para a empresa, a frequência do pagamento de juros pode ser superior à dos dividendos.

Bônus e assinaturas:

Este é um pagamento através das ações da própria empresa. Embora exista bônus em dinheiro, a forma mais comum é por meio de ativos. Isso ocorre quando uma empresa aumenta sua reserva de capital e distribui ações aos investidores na proporção da quantidade de ações que cada um possui.

A subscrição é o direito que um acionista tem de comprar ou não mais ativos da empresa. Essa opção ocorre quando levanta capital e oferece ações com valor mais atrativo para quem já é investidor.

Em geral, as empresas publicam um calendário informando sobre o pagamento de dividendos e outras receitas.

Fontes: https://www.empiricus.com.br/ ,https://warren.com.br/